logo4.gif










Hemorragias
Doação de sangue.
É tido como hemorragia todo derramamento de sangue do organismo humano para fora dos vasos sanguíneos. O sangue tem uma função vital e fundamental no organismo, além de transportar os nutrientes e o oxigênio para as células. Também leva o gás carbônico e outros resíduos e substâncias para os órgãos excretores do corpo.
 
O sangue tem funções nutritivas, excretoras e imunológicas essenciais ao nosso organismo, o que leva a concluir que a perda de tal elemento em nosso corpo é extremamente prejudicial e, dependendo da quantidade e do caso, mortal.

Uma hemorragia com muita perda de sangue não devidamente tratada pode levar a vítima a um estado de choque e, posteriormente, a óbito. Já em casos de hemorragias de menor proporção, pode trazer um quadro de anemia (falta de nutrientes, e baixa quantidade de glóbulos vermelhos no sangue).

Hemorragia externa:  É o tipo de sangramento exterior ao corpo, ou seja, que é  facilmente visível. Pode ocorrer em camadas superficiais da pele por corte ou perfurações, ou mesmo atingindo áreas mais profundas através de aberturas ou orifícios gerados por traumas. Pode ser contida, utilizando-se de técnicas de primeiros socorros.

Hemorragia interna: A hemorragia interna se dá nas camadas mais profundas do organismo com músculos, ou mesmo órgão internos. Ela pode ser oculta ou exteriorizar-se através de algum hematoma (mancha arroxeada) na região da hemorragia. A hemorragia interna costuma ser mais grave pelo fato de na maioria dos casos ser “invisível”, o que dificulta sabermos a dimensão e a extensão das lesões.

As hemorragias ainda têm um outro tipo de classificação que se dá quanto ao tipo de vaso sanguíneo rompido. Podem ser:
 
Hemorragia Arterial- quando uma artéria é rompida ou cortada e o sangramento ocorre em jatos intermitentes, na mesma pulsação das palpitações cardíacas. O sangue nesse tipo de hemorragia, apresenta uma coloração vermelha clara e brilhante. Costuma ser mais grave por ter uma perda mais rápida de sangue.
 
Hemorragia venosa- É o sangramento que se dá em decorrência do rompimento ou corte de uma veia, e  tem uma coloração vermelha escura, típica de um sangue rico em gás carbônico, tem um fluxo contínuo e mais lento que o da hemorragia arterial.
 
Hemorragia capilar-  É um sangramento lento e com menos volume de sangue, que ocorre nos vasos capilares (encontrados na extremidade interna da pele), e é observado em arranhões e pequenos cortes superficiais. 


Abaixo, um comparativo da quantidade de sangue perdida em uma hemorragia e as consequências e/ou sinais observados em cada estágio.

Quando se perde de 15 a 30% do sangue no organismo:

-Um estado de ansiedade;
-Observa-se o pulso fraco;
-Sede excessiva;
-Suor excessivo;
-Taquicardia (batimentos muito acelerados do coração);
-Respiração rápida.

Quando se perde de 30 a 50% do sangue no organismo:

-Taquicardia;
-Semiconsciência;
-Estado de choque.

Quando se perde mais de 50% do sangue do organismo:

-Dificilmente a pessoa que perde essa quantidade de sangue sobrevive sem uma imediata intervenção laboratorial (transfusão de sangue) realizada por um médico profissional.


O que fazer em casos de hemorragia?

*É necessário manter e transmitir a calma diante da situação, passando à vítima confiança;

*Deite a pessoa em posição horizontal, pois facilita a circulação sanguínea entre o coração e o cérebro;

*Aplique sobre o corte, perfuração ou ferimento uma compressa com gaze, ou um pano limpo (se possível antes, use luvas descartáveis, a fim de evitar possíveis contaminações), fazendo uma pressão firme  sobre o local com uma ou com as duas mãos, ou mesmo com um dedo, ou ainda uma ligadura, dependendo do tamanho e do local do ferimento; 
            
*Se o pano ou gaze ficar encharcado com sangue, este não deve ser trocado, mas mantido no lugar e colocado outro por cima, a fim de não interromper o processo de coagulação do sangue que está sendo contido;

*Continuar a compressão até que a hemorragia estanque  (no mínimo 10 min.);
             
*Em seguida, faça uma ligadura compressiva (que é um curativo bem preso e com certa pressão sobre a região afetada) no local da hemorragia.

*Durante todo esse  processo, deve-se manter a vítima calma e acordada, não dar nada para comer ou para beber e mantê-la aquecida.

*No caso de hemorragias nos membros com muita abundância de sangue, as  quais não se pôde conter após ter aplicado as técnicas acima mencionadas, pode ser que seja necessário o uso de um torniquete, que consiste em colocar um pano ou um esfigmomanômetro (pop. “liga de soro”)  logo acima do ferimento, de maneira a interromper quase que integralmente a circulação sanguínea naquele local para estancar a hemorragia. Visto que é uma técnica muito arriscada, o torniquete é recomendável somente em última hipótese. Nos casos de hemorragias muito constantes deve-se transportar a vítima imediatamente  a uma unidade de saúde mais próxima.

*Em hemorragias nasais (sangramentos no nariz), deve-se elevar a cabeça da vítima com o tronco inclinado para frente, para que ela não acabe engolindo sangue;              

*Comprimir a(s) narina(s) que sangra(m) com os dedos;                                                                     
          
* Aplicar gelo ou compressas frias;
          
* Não assoar;
      
*Caso o sangramento não cesse, deve-se colocar um tampão, de algodão ou gase, de maneira a preencher bem a cavidade nasal.
 
 
Ataque Cardíaco  <<-- Hemorragias  -->>  Fraturas






Site desenvolvido por KERDNA Produção Editorial LTDA